Dedo de Prosa: Fim da taxação pode prejudicar a pecuária leiteira no Brasil, e mais

Dedo de Prosa

Governo anula tarifas de importação do leite: O Ministério da Economia encerrou a cobrança tarifária antidumping sobre a importação de leite em pó da União Europeia e Nova Zelândia. Quando implementado, o objetivo da tarifa era dificultar a concorrência de leite de fora do Brasil, possibilitando o desenvolvimento deste importante segmento da pecuária nacional. Esta  decisão provoca inquietação ao setor, pois o estoque interno tem crescido na UE, estimado atualmente em 400 mil toneladas de leite em pó. Este volume pode inundar o mercado nacional, reduzindo os preços e comprometendo o setor no Brasil.

Articulações para o Plano Safra 19/20: O próximo Plano Safra, que entrará em vigor em 1º de julho, ainda está sendo estruturado pelo governo. Por enquanto, a ideia é cortar subsídios de grandes produtores – mas novas linhas de crédito com taxas de juros livres, porém abaixo de 10%, devem ser criadas para atender este segmento. Ainda está em discussão também a manutenção ou ampliação do volume de financiamentos com juros controlados para médios e pequenos produtores. 

Relatório do USDA não anima os preços da soja: O USDA divulgou seu novo relatório de oferta e demanda para a soja na safra 2018/19. Apesar de ter reduzido os estoques globais e dos EUA, bem como para a produção no Brasil e na Argentina, os estoques do grão norte-americano continuam recorde, em decorrência dos embates comerciais com a China, que continua limitando a demanda.

Relatório traz tom baixista aos preços internacionais do milho: Ainda no último relatório de oferta e demanda do USDA, os números do milho vieram reduzindo a produção e os estoques finais dos norte-americanos. Por outro lado, trouxe melhores perspectivas para a safra da Argentina, visto que as condições climáticas no país têm sido propícias para o desenvolvimento do cereal. Com esse contrabalanço na oferta e o consumo mundial menor, os estoques do mundo foram revisados levemente para cima, trazendo um tom baixista às cotações do milho na Bolsa de Chicago.

Com o prazo da trégua se encerrando, China e EUA se reúnem buscando acordo: Com a proximidade do dia 1º de março, quando finda o prazo da trégua estabelecida, negociadores americanos e chineses se reúnem em Pequim, de segunda a sexta desta semana, para tentar definir um acordo comercial. As últimas reuniões ocorridas em Washington na semana anterior terminaram sem um acordo e com o principal negociador americano dizendo que ainda há muito trabalho a ser feito antes de um pacto ser firmado.

Menu