BB em menor participação no crédito rural, recorde de abate de novilhas, pecuaristas dos EUA contra o Brasil, e mais!

Governo quer diminuir participação do BB no crédito rural: O governo quer reduzir o papel dos bancos públicos no crédito agrícola, liberando mais espaço para bancos privados, trazendo mudanças no crédito agrícola. O governo deixa claro que esta redução na participação não significa que as instituições públicas vão abandonar o segmento. O Banco do Brasil é o líder histórico nesse segmento.

Recorde de abate de novilhas e seus efeitos no mercado de reposição: Segundo a Scot Consultoria, o abate de novilhas tem crescido de forma expressiva no Brasil. Para se ter uma ideia, no período de janeiro a setembro, 2018 registrou recorde em abate de novilhas, praticamente o dobro do que o registrado há dez anos atrás. A situação traz diversas reflexões, dentre elas, como este volume de abate de novilhas irá impactar na oferta de bezerros no médio e longo prazo.

Pecuaristas dos EUA se opõem a reabertura do comércio bovino ao Brasil: A visita da comitiva do presidente Bolsonaro nos EUA gerou uma nota de advertência da associação dos pecuaristas norte-americanos, que se opõem fortemente à reabertura do comércio de carne bovina ao Brasil, uma vez que, segundo a associação, o país falhou em várias categorias em relação ao seu comércio com os EUA. Em comunicado, a associação também declarou que o Brasil sempre se mostrou um mau ator no mercado global. Isso mostra que enfrentaremos diversas forças contrárias para acessarmos este mercado.

Inundações nos EUA limitam produção de etanol: Enchentes no Meio-Oeste norte-americano reduziram cerca de 13% da capacidade de produção de etanol do país. Com as linhas ferroviárias sendo afetadas e o milho armazenado inundado, a produção de etanol está diminuindo, fazendo com que os preços subam nos mercados. A ruptura ocorre no momento em que a indústria do etanol está em meio a uma desaceleração histórica, devido ao atual conflito comercial com a China, e ao lento crescimento da demanda doméstica.

PIB do agronegócio brasileiro encerra 2018 com estabilidade: De acordo com o Cepea, o PIB do agronegócio brasileiro apresentou estabilidade em 2018, com leve baixa de 0,01% no fechamento do ano. Pesquisadores do CEPEA indicam que esse desempenho da renda gerada no agronegócio em 2018 está ligado à elevação dos custos de produção nos segmentos primários, tanto no agrícola como no pecuário, e à fraca demanda verificada em diversos segmentos e atividades do ramo pecuário.

× Tenho dúvidas!